martes, 17 de abril de 2007

HÁ OUTRO EU

Poesia de GRACIELA MALAGRIDA
Tradução de Ronaldo Braga

posted by Braga e Poesia at Bragas e Poesía



Há outro eu,
e que se ver
interpondo
entre o sol e eu
uma lamina qualquer
que percorre
as veias minhas.

As correntes minuciosas da energia
que de perto segue
a conexão intima
da lamina com a folha
da folha com a arvore
e da arvore
com a arvore no bosque de mim, tão vazio.

Agua, saber, sol
caminho e vida.

Nada dói tanto
quando se tenta
por inteira
atravessar a luz....

Há outro eu
que é ao mesmo tempo
Teseo e Minotauro,
ambos seguem
o fio de Ariadna
ambos a abraçam
na saida,
ambos chegam a reis
neste mundo,
enquanto ela
pessoa dividida,
como uma aranha
tece pura brisa
e poderosos sinais resplandecentes.

Nada incomoda,
nada mortifica,
nada acusa,
mais que eu.

2 comentarios:

  1. nada incomoda, nada acusa, nada mortifica, mais que eu.
    eu acho esse poema muito bonito e traz uma questão filosofica a relação dual que temos con a gente mesmo, a imanência de um contraste en nossa alma, ao ponto que o nosso pior inimigo com certeza somos nós mesmos. Temos que tomar muito cuidado desse eu outro que sou eu.Graciela espero que vc entenda as mionhas palavras.
    um, beijo de corpo e alma.

    ResponderEliminar
  2. Te entiendo Ronaldo, no me cuesta mucho entender portugués, vivo en la frontera
    y si así no fuera, nuestas almas son linderas x la poesía igualmente. Gracias a vos.

    ResponderEliminar

gracias x el comentario! no dejes de orbitarme!